O papel das mães na educação financeira dos filhos

O comportamento financeiro das mães influencia o modo como os filhos encaram o dinheiro

Responsáveis em sua tarefa de educar os filhos em todos os âmbitos, as mães desempenham papel ativo no modo como seus filhos administram seu dinheiro.

O ponto de vista vem realmente de berço: diversos educadores financeiros alegam que a quantia recebida por uma família não tem relação com a forma como lidam com suas finanças, podendo ser muito organizadas com renda mínima e profundamente endividadas com renda mensal acima da média.

As mães são as figuras que, em geral, administram as finanças em casa. E quando o assunto é este, tudo conta: supermercado, o momento das roupas novas, a discussão sobre a educação escolar, as doações da família, contratações e pagamentos de empregados domésticos e a função de delegar e gerenciar as tarefas dos membros da família.

Cada uma dessas decisões, embora pareçam naturais e cotidianas, são respostas econômicas que adaptam e influenciam os hábitos de seus filhos.

Pais têm, com certeza, papel importante, no entanto, no Brasil, cerca de 87% das famílias sem cônjuges ou com pais separados são lideradas pelas mães, segundo censo demográfico de 2019.

Como costumam abdicar suas próprias necessidades para dar aos filhos, a visão que a maioria das pessoas têm sobre sua genitora é a da doação.

Logo, hábitos financeiros saudáveis por parte delas impacta muito abundantemente a decisão dos filhos sobre as finanças. Por esta razão, mesmo dando tudo com amor, é preciso pensar em como o comportamento emocional relacionado às finanças é interpretado pela criança para que ela não ache que dinheiro é sinônimo de desperdício.

Para ajudar nesse processo de formação, reunimos algumas dicas sobre como alimentar ainda mais a boa educação financeira no convívio familiar. Confira:

Dê o bom exemplo:

Ensine seus filhos desde cedo que a melhor maneira de ter estabilidade financeira é poupando.

Modere as compensações:

Mães se culpam em excesso. Se você passa muito tempo fora trabalhando ou comete deslizes que considera graves, peça mais desculpas do que dê presentes. Evite associar tristezas a compras para estimular o auto controle no consumo de seus filhos.

Diga não às vezes:

Por mais que você sinta que eles merecem tudo, eles não precisam de tudo. Ensine-os a viver com menos itens e a dar valor no que possuem.

Cuide de si mesma:

Distribua um pouco da renda para você também. Isto vai fazê-la mais feliz e ensiná-los a necessidade da família de compartilhar o planejamento financeiro.

Quanto mais equilibrada você estiver, melhor será para desempenhar o papel de mãe na educação de seus filhos. Sobre dinheiro, não é diferente: opte sempre pelo controle.

E, às vésperas de mais um segundo domingo de maio: Feliz dia das Mães!

Tags: finanças mães

Veja mais