Setor de cartões cresceu 17% no primeiro trimestre

Reduções nos lockdowns impactaram positivamente o setor

De acordo com balanço realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), o setor de cartões expandiu consideravelmente no primeiro trimestre de 2021.

Totalizando o impressionante montante de 6,5 bilhões no período mencionado, o crescimento alcançou percentual de 17,3%. Muito embora o dado já seja elevado, segundo informações concedidas por Pedro Coutinho, presidente da ABECS, em março, o setor computou crescimento de 24,6% somente naquele mês.

O presidente da Associação atribui a alta às condições menos restritas da pandemia em relação ao mesmo mês do ano anterior. Ainda que estejamos em alerta sanitário, não houve novamente um fechamento completo das atividades, o que incentivou o aumento.

O cartão de crédito assume a primeira posição no ranking específico, como o meio de pagamento mais utilizado do setor, seguido pelo cartão de débito e modalidades de cartões pré pagos.

A tendência pelo pagamento eletrônico cresce cada vez mais. Os brasileiros, pouco a pouco, abandonam transações em dinheiro, sentem-se mais seguros e consideram mais prático evitar saques.

Entretanto, à medida que o setor aumenta suas atividades, cresce também a inadimplência. Pela primeira vez, como demonstram estudos do Banco Central (BC), o indicador de inadimplência dos cartões se igualou às estatísticas de taxas médias de inadimplência de pessoas físicas que, por sua vez, reúnem opções muito mais vastas de crédito: aquisições de carros, arrendamentos mercantis, cheque especial e empréstimos consignados ou pessoais.

A análise da ABECS revela, no entanto, que apesar das dificuldades enfrentadas no pagamento de dívidas, o setor digital cresceu e expandiu recursos de modo invariável:

“O primeiro trimestre leva a gente a imaginar que teremos recorde de transações com cartões no ano de 2021”, afirma o presidente da ABECS, Pedro Coutinho.

Tags: cartões