Atitudes de quem consegue guardar dinheiro

Se você ainda não tem suas reservas, saiba que nunca é tarde para começar

Todo mundo conhece uma pessoa que não gosta de gastar dinheiro e prefere vê-lo quietinho em sua conta corrente. Mas, para cada pessoa assim, existem várias outras que mal conseguem fazer o salário cobrir todas suas despesas.

Ninguém diz que juntar dinheiro é fácil, até porque não é. Exige disciplina e planejamento a longo prazo. Em um artigo publicado no site Business Insider, a blogueira Sarah Winfrey reuniu cinco atitudes das pessoas que conseguem economizar uma parte razoável de sua renda. Confira as dicas:

1. Tenha uma vida simples
Calma. Viver uma vida simples não significa desistir de todo o conforto e das coisas que você gosta. Significa não gastar todo o seu dinheiro com coisas que não fazem uma grande diferença na sua vida. Por exemplo, você adora jantar em restaurantes caros de vez em quando, mas não liga muito para roupas. Então qual a razão de comprar roupas todo mês? Você realmente precisa? Não vale mais a pena esperar pelas liquidações? Você pode continuar gastando um pouco mais com comida (às vezes) e gastar um pouco menos com shopping. As pessoas que conseguem economizar costumam saber cortar gastos em áreas que não são essenciais para seu bem-estar. Pare e pense sobre as coisas com as quais você mais se importa.

 

2. De grão em grão...
Se você só tem algumas dezenas de reais para guardar, tudo bem. Considerando que você guarde R$ 100 todo mês em um investimento com retorno de 6,5% ao ano (algo próximo da poupança), em 10 anos você terá cerca de R$ 17 mil. Em 20 anos, serão quase R$ 50 mil. Ninguém vai se aposentar com esse dinheiro, mas não é desprezível. Quem percebe isso, valoriza as pequenas economias. Vender um móvel que já não usa mais, sempre pedir um desconto...Algumas pessoas não ignoram esse dinheiro porque enxergam como ele pode se multiplicar.

 

3. Aceite dinheiro "de graça"
Há empresas que oferecem planos de previdência privada ou outros incentivos para investimentos mais vantajosos que a média do mercado. O funcionário precisa aceitar um desconto no salário, o que pode não parecer muito bom à primeira vista. Mas se o investimento oferecido pela empresa fizer sentido a longo prazo, vale a pena receber um pouco menos ao final de cada mês para ganhar um "prêmio" ao final de alguns anos.

4. Planeje-se
Se a palavra "orçamento" faz você ter vontade de sair da sala, não é o único. A maioria das pessoas acha que ter um orçamento (e cumpri-lo) diminui a diversão. Mas  ele também pode ser um caminho para a liberdade. Isso porque se você sabe em que está gastando, é mais fácil pagar as contas em dia, cortar despesas supérfluas e economizar. E economizando, é mais fácil realizar alguns sonhos. Além disso, ter controle sobre as contas evita aquela ansiedade de não saber se o dinheiro vai dar no fim do mês.

5. Entenda como seu cérebro percebe o tempo
Guardar dinheiro requer encontrar um jeito de bloquear o desejo pelo consumo imediato. Para fazer isso, você precisa entender como seu cérebro funciona. Por exemplo, como ele tenta te convencer de que o agora é mais importante do que uma meta que está em um horizonte temporal muito distante. As pessoas que conseguem economizar mais costumam acionar o lado mais racional e pensar friamente nos números antes de tomar qualquer decisão. Saber como você reage a certas situações vai aumentar seu poder de decisão, fazendo com que você supere seu impulso imediato e faça escolhas mais sensatas - financeiramente, pelo menos.

Fonte: Época Negócios

*Os conteúdos deste portal têm caráter informativo e são produzidos pela empresa Engrenagem Virtual; não refletem necessariamente uma recomendação da Entidade.

 

 

Tags: comportamento hábitos organização financeira poupança

Veja mais