Financiando seu carro com sabedoria

Com a ascensão do poder de compra da classe média e a concessão de inúmeros incentivos por parte do governo, ficou mais rápido e fácil comprar um automóvel. Mas as parcelas "que cabem no bolso" enganam. Além disso, há outros gastos que acompanham a compra e que podem onerar bastante o plano de comprar um carro.

Se você optou por financiar o carro, é preciso saber o valor total que pegará emprestado com o banco ou financeira. Quanto maior for este valor, mais você pagará em forma de juros e outras taxas. Antes de ir à concessionária, pense bem sobre o quanto pode pagar no momento. Quanto maior o valor de entrada, menor será o valor do financiamento.

Também é preciso estimar o número de parcelas que você deseja pagar, mas tenha cuidado com períodos muito extensos. Pode ser tentador escolher um prazo mais longo porque você pagará menos por mês, mas isto também significa um impacto maior no seu bolso, uma vez que você pagará juros ao longo de um tempo maior.

Fique atento também à desvalorização de seu carro: o valor de revenda de seu veículo pode se tornar mais baixo do que o seu saldo devedor no futuro - e por isso é importante não estender demais o número de prestações. Além disso, é preciso levar em consideração gastos complementares, como seguro, IPVA, gasolina, revisão, garantias estendidas, entre outros.

Vá às compras...

... Mas não do seu carro, ainda. Você deve ter tomado um tempo para pensar no modelo, na marca e nos acessórios do carro que pretende adquirir. Se seguiu o conselho anterior, já deve ter determinado quanto pode dar de entrada e tem uma ideia do quanto será necessário financiar.

Agora, trate o seu financiamento como um produto que você irá adquirir, da mesma forma que o seu carro. Pense a respeito: seu credor lhe entregará uma quantia em dinheiro (que você não tem agora), em troca do valor dos juros e outras taxas que você pagará a ele ao longo do tempo. Você está pagando para obter o dinheiro.

Dessa maneira, a melhor estratégia é não comprar por impulso. Pesquise as várias opções de financiamento antes mesmo de ir à concessionária. Consulte seu banco e outras instituições financeiras, simulando a mesma situação em todos (por exemplo, o mesmo valor e o mesmo prazo).

Compare os financiamentos:

Não olhe só para a taxa de juros na hora de comparar. Quase sempre há outras taxas como abertura de crédito, administração, tributos, seguros atrelados, entre outros. Prefira comparar as opções de acordo com o Custo Efetivo Total (CET) de cada uma.

O CET leva em consideração os diversos custos mencionados e resume todos eles a um só parâmetro. O Banco Central, por meio da da Resolução 3.517, de 2007, estabeleceu que as instituições financeiras, antes da contratação de operações de crédito, são obrigadas a informar este importante indicador ao consumidor. É possível ler a Resolução na íntegra no próprio site do BACEN:

Vá, então, à concessionária

O objetivo agora é conseguir o maior desconto possível em seu carro, diminuindo ainda mais o valor que você precisará financiar. Você pode ter sido pré-aprovado em uma série de financiamentos se tiver seguido o conselho de pesquisar antes de ir à concessionária. Mas não conte isso ao vendedor até que tenha conseguido negociar um bom desconto!

Muitas vezes, a própria concessionária ganha uma comissão pela indicação de clientes a instituições financeiras parceiras, e o próprio vendedor pode ficar receoso em lhe dar um desconto maior, uma vez que a melhor opção que você encontrou não irá gerar a comissão.

Financiamento com taxas mais atrativas

Em algumas ocasiões, as concessionárias oferecem financiamentos com taxa de juros zero. Esta é uma estratégia para alavancar as vendas em períodos de "baixa temporada". No entanto, lembre-se, mais uma vez, que estes financiamentos nem sempre estão isentos de outras taxas, como você já leu anteriormente neste artigo.

Se você optar por este tipo de financiamento na concessionária, o vendedor provavelmente será menos flexível na hora da negociação do preço final do carro. Ou seja, você até consegue juros mais baixos por um lado, mas consegue também menos desconto. Reflita se não é melhor negociar um desconto maior no preço do carro e financiá-lo com juros um pouco maiores nos outros bancos que você já pesquisou.

Decida e seja feliz!

Você refletiu bastante, estimou quanto pode dar de entrada, decidiu em quantas vezes pagar; foi à luta e pesquisou diversas opções de financiamento; possivelmente, conseguiu um bom desconto em seu carro.

Agora é a hora de pesar todos os fatores em uma balança e realizar o seu sonho. Compre seu carro sabendo que você fez a melhor opção possível e não dê espaço para a culpa. Curta sua nova máquina e lembre-se de sempre dirigir com responsabilidade!

 

Tags: carro finanças IPVA taxas

Veja mais